Preciso fazer… a lista de hoje


Estou com as mãos cheirando a cebola, usei o horário do almoço para fazer comida para os dias seguintes. Hoje pela manhã fiz um lanche com uma amiga que o destino me devolveu depois de anos, portanto não senti a fome desesperadora do 12h. Tive tempo. Muito provavelmente não será um bom dia para ficar sem café, estou sonolenta, são 15h e não produzi muita coisa até agora. Meus livros, comprados na Amazon, o capeta online da tentação consumista, chegaram. Fiquei muito feliz, apesar da fatura e de me perguntar de que horas vou lê-los. Preciso estudar. Também devo marcar a ressonância magnética do meu cóccix, estou com preguiça porque pedem para enviar solicitações, fotos de documentos e afins. Pode enviar pelo whatsapp o que é muito relevante, porém o número dado não aparece na lista, vou ter de ligar de novo no fixo e aí já viu. Mais meia hora perdida. A Claro deveria ter respondido minha reclamação sobre cobrança indevida. Vou ter de ligar de novo, aí, neste caso, mais 1h no lixo. Estou me sentindo cansada e nem sei porque, mas desconfio dos meus hormônios pré-menstruais. Me pergunto como não ficamos cansadas (os) no resto do mês. Lembrei de mais coisas que preciso fazer: levar roupa no ajuste, estéticas femininas, afinal tem um casamento em breve, então na sexta preciso pedir a faxineira para deixar o vestido passado considerando meu zero talento em tal tarefa. No meio disso tudo, segundo minha psicóloga e minha coach, devo dar a cara a tapa em termos de carreira. Elas estão certas. Alguém só poderia pegar no meu rosto e levá-lo para tomar ou não o tapa em algum lugar. Ainda tenho tanto para ler, pesquisar, descobrir, como vou parar para achar este tal lugar?! Dizem que estou sendo exigente comigo mesma. Isso não me causa nenhuma fagulha de tristeza, afinal eu sou assim porque quero ser, acho corretíssimo. Na verdade, adoro pessoas exigentes também. E não, não sou má nem nada do gênero. É muito mais discreto do que se imagina. Bom, vou me render a cafeína, fazer tudo da lista de hoje, começar um dos novos livros sem nem olhar para a lista dos que esperam na minha bancada. Sim, vou fazer acontecer, eu vou devagar, mas chego. Vou dormir satisfeita de ter feito o que deu e de ser feliz como sou.

Nessa vida doida de todos nós deixo para vocês um lembrete para respirar um pouco no meio do dia: “ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso porque já chorei demais (…) ir tocando em frente”.