Metas, propósito e entrega


Uma das minhas atividades prediletas é colocar um tick de missão cumprida ao lado de alguma tarefa. Isso inclui, claro, as metas. Sou uma planejadora nata, não sei exatamente desde quando, mas os registros mais antigos são de quando eu tinha 15 anos. Isto mesmo, tenho as agendas desta época e está lá tudo arrumadinho, inclusive a lista de quem iria receber cartões de Natal, coisa que faço até hoje.

Passados quase 15 anos, muita coisa mudou, no entanto. Ao invés de começar um novo ano cheia de metas, muitas vezes irrealizáveis, sem propósito e apenas seguindo o comboio, resolvi refletir. Ainda em dezembro fiz um exercício de gratidão incrível, me fez pensar 2016 em todos os detalhes, àqueles que esquecemos em gavetas empoeiradas, mas tão importantes (sempre grata a @debsaquino e não só por isso <3). Perto do réveillon escrevi pelo que agradeceria em 2017, tudo com entrega, colocando sentimentos nas frases, realmente desejando. Estas foram minhas metas e desejos

No dia 31, a noite meditei, me conectei com as melhores energias, rezei pelos que amo. E aí, em janeiro, quando tudo já estava assentado na minha mente, foi que fiz as listas com tarefas e ticks realizáveis. O ano começou com muito mais entrega e eu já realizando um montão de coisa que procrastinaria por dias se não entendesse o real sentido de estar fazendo aquilo.

Tudo isso mudou assim rápido? A vontade de coisas rápidas e fáceis é um dos maiores problemas da nossa geração. O outro é achar que existe resultado palpável em tudo na vida. Deixa eu explicar melhor. A mudança não é rápida simplesmente porque ela não é medida por tempo, aliás, sequer é mensurável. Mudar está atrelado a viver, é infinito, assim como o autoconhecimento.

Nem sempre tem resultado, portanto. Muitas vezes desejamos e temos como meta perder 10kg em 6 meses. Passa o tal ano e tanta coisa acontece que no final a transformação é muito maior, o emagrecimento é um alcance pequeno perto disso. Se a gente ficar pensando muito no fim, não aprende no trajeto, não ganha o bônus extra.

A graça da vida é justamente a trilha. Então, por que ter metas e planejar? Porque nem eu e, suponho, nem você, quer ter uma vida tola. Porque se não pensarmos no trajeto e onde queremos chegar, o final é bem vazio. Porque a humanidade se desenvolve com ganhos e conquistas desde a pré-história, portanto é faz parte da nossa existência um impulso que nos move para frente.

O primeiro post de 2017, bem atrasado mesmo, afinal eu estava cumprindo os meus planos (haha), é para você pensar nas suas metas para o ano. Em todos os setores! Carreira, família, saúde, relacionamento (você com você mesmo e com os outros) etc. Escolhe direitinho, com entrega, amor e propósito.

A imagem deste post é do filme Livre, uma ótima ideia é assistir e refletir sobre o tema de hoje. A trilha é incrível, o roteiro também, a atriz idem, já vale só por isso. <3