Gestão de tempo: é desperdício tentar ser outra pessoa


O que a tentativa de ser outra pessoa tem haver com a perda de tempo? Muito simples, a maioria das pessoas faz uma “agenda” baseada nos outros; no ritmo, produtividade, exigências, perfil de sono alheios. Já percebeu isso? Um bom exemplo é quando você passa a querer estudar 12h por dia apenas porque viu alguém fazer isso no Instagram e achou uma ótima ideia.

Não pode querer mudar os hábitos? Para seu bem e com objetivo, pode e deve. Pensando em referências não compatíveis com você, não vale a pena. Se você estudar 12h por dia, sem período de adaptação ainda mais, sem propósito, estará destruído (a) em pouco tempo e não renderá mais o resto do dia. Perdeu, portanto, metade do dia. E sendo bem realista, é muito difícil alguém estudar tantas horas com qualidade.

Também tem quem planeje seu dia se comparando com os outros. “Preciso ter tempo para malhar porque os outros pais da escola do meu filho estão todos fazendo isso”, exemplo comum em todos os dias no mundo inteiro. A pessoa então resolve malhar 5h da manhã, levar o filho na escola às 7h e ir trabalhar, o resultado é um dia cansativo, estressante, sem produtividade. Ninguém pensou em uma coisa: os outros pais trabalham 6h por dia e você 12h.

Quando falamos em gestão de tempo a única coisa que deve ser levada em conta é: quem você é, qual seu perfil em cada área da vida, o que você quer ser e o que precisa mudar para alcançar isso. Pense em você, na sua família, no seu relacionamento. Quanto mais você lutar para ter uma rotina igual a de outro alguém, mais vai desperdiçar seu precioso tempo.

Tempo é vida, quem quer perder?! Se estiver se sentindo muito perdido por aí, um bom jeito de se achar é fazendo nosso Workshop sobre Gestão de tempo para uma vida mais leve. Será nos dias 18 e 25 de abril, totalmente online, das 20h às 22h. Invista em você nestas 4 horinhas e ganhe muito depois. Inscrições aqui!

Dica: o filme da foto na capa é o Não sei como ela consegue. Perfeito para pensar nesse tema e sobre seus propósitos. Além disso, foquem na inteligência emocional da personagem.