Como melhorar o café da manhã


Eu não sou das que pregam que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, acredito que devemos cuidar de cada coisinha que a gente ingere, até aquele bombonzinho pós almoço. Mas, quando começamos o dia comendo bem, o resto acaba fluindo. Também aumenta nossa energia ingerir menos açúcar na primeira refeição dos coitados do estômago e intestino.

Na pressa, afinal a maioria escolhe dormir mais um pouquinho, tem gente que sai sem nem comer! Ou escolhe um queijo quente, uma banana, um copo de leite com chocolate ou joga logo um café. Não tem boas gorduras nem proteínas nem vitaminas diversas. O queijo e o leite são proteínas, eu sei, mas de difícil digestão e pior ainda quando associados a açúcar, sim, pão eleva glicose.

Se você está em busca de uma vida mais saudável e mais longevidade, faça um teste e passe de 7 a 10 dias fazendo uma variação no café da manhã. Observe o seu dia e seu rendimento, vai notar uma evolução. Agora, imagine se mudar todas as refeições?!

Hoje vou dar as dicas exclusivamente para esta refeição, mas me aguardem… Bom, primeiro de tudo é bom ver que frutas e legumes estão na época, isso faz diferença no preço, serão alimentos com menos agrotóxicos (dê preferência a orgânicos) e te obriga a dar uma variada no consumo. Se você é do tipo que não come salada, faça um suco verde ou rosa ou laranja. Assim ingere as vitaminas dos legumes sem fazer careta porque não fica ruim. Dicas: couve + abacaxi, beterraba + morango, manga + cenoura.

panqueca

Minha panqueca amada: banana+ aveia + ovo.

Outros alimentos legais no café da manhã: ovo, abacate, coco (a água e carne), banana (desde que acompanhada de gordura ou proteína), tapioca bem recheada (pode ser com o ovo, inclusive), raízes, aveia. Evite açucares: pão, muita fruta (no suco só pode uma e pouca), mel ou qualquer adoçante, suco de laranja (alto índice glicêmico), bolachas e biscoitos, industrializados. Tem coisas que você nem imagina que tem açúcar, mas tem e até com outros nomes: xarope de milho, glucose, maltodextrina e por aí vai.

Faça uma lista de necessidades, monte um cardápio baseado nela e compre sem desperdício. Uma boa pedida sempre é procurar um gastro ou clínico geral para fazer os exames de rotina, não esqueçam da importância deles. Medir vitaminas, hormônios, colesterol, triglicerídeos e afins é crucial. Com os resultados em mãos e avaliação do médico, é a vez do (a) nutricionista funcional, afinal o cardápio será personalizado com seu perfil.

Atenção: Não sou nutricionista, não passo cardápio para ninguém, aqui são apenas dicas de organização e de mudança de hábitos. Se você tem algum sintoma já existente, procure um médico urgente, não ignore os sinais do seu corpo.