Como faço para comer mais legumes?


O drama de inúmeras mães na hora do almoço dos pequenos, o motivo de pratos poucos colorido dos adultos, a fuga dos adolescentes para fast food. É um tema só que une todas as faixas etárias: comer legumes e verduras. Como não seria? Os adultos de hoje, na maioria, claro, viram os pais comerem poucos itens destes.

Deixa eu explicar. Nos tempos dos nossos avós se comia melhor sim, não tinha tantos industrializados e os que haviam não eram consumidos assim como quem não quer nada, sabe? E não se tinha morango no supermercado o ano inteiro, nem tampouco berinjela. O fluxo alimentar seguia o fluxo da agricultura o que era ótimo, comia-se com menos agrotóxico porque se respeitava os ciclos da natureza. Porém, a vida não era fácil e ninguém se esforçava muito para ter todo dia na mesa uma boa variedade de legumes, falo do Brasil. Com suas adaptações às singularidades das regiões, o arroz + feijão + carne + alface e tomate e cebola é um clássico.

20160405_195914

Minha sopinha: abóbora com couve crocante (é só por no forno e ficar de olho) e queijo de cabra. Foto do Insta.

Se nós não tínhamos essa tal variedade, não consumimos, correto? Nem vimos o exemplo. Ou seja, se não tem no nosso prato, nossos filhos vão querer? Claro, em termos de crianças sempre pode ter aquela que não experimenta de jeito nenhum, mas o exemplo é o primeiro passo. Então, vou dar algumas dicas do que funcionou comigo.

Crianças:

  • As pesquisas mostram que podem ser necessárias 7 a 8 exposições para que a criança aceite um alimento novo. Introduza o alimento em pequenas quantidades, talvez deixando passar alguns dias entre uma apresentação e outra. (A verdade sobre a comida – Jill Fullerton-Smith)
  • Se a criança o rejeitar, tire-o do prato sem dizer nada, espere uma semana e volte a tentar. (mesma fonte)
  • Refeições feitas em família ajudam (referencias no texto do Dia das Crianças aqui)
  • No seu prato ou de quem acompanhar a criança deve ser completo: colorido. Estabeleça o mínimo de 4 cores!
  • Varie o preparo: brócolis no vapor, refogado, purê, sopa etc. Couve pode estar dentro do suco, por exemplo. Aliás, suco verde, amarelo, rosa são super bem vindos para as crianças: manga + cenoura, abacaxi + couve, beterraba + morango etc.
  • Inclua o pequeno na feira e na cozinha. Deixe eles ajudarem, mostre como escolher, como se prepara etc.
  • Adicione um legume pelo menos nos pratos tipo o macarrão da foto de capa. Já é uma nutrição extra!

img-20160928-wa0006

Só achei esta foto, não está a mais variada, mas tem grão de bico que é bem completo assim como a quinoa. Abóbora, abobrinha + tomate + cebola + alho no forno, peixe e alface. Almoço <3

Adultos:

  • Todo mundo tem consciência da necessidade, o primeiro passo é diminuir o mimimi. Sério, aceite a condição e se abra para provar novos sabores.
  • O mesmo das crianças: varie o modo de preparo. É ainda mais divertido que o deles: brinque com os temperos, refogue com alho, cebola e pimenta. Se divirta.
  • Eu escolhia um legume novo por semana para acrescentar no prato. Por exemplo: esta semana vou provar abobrinha! Fazia no forno, refogada, misturava na salada e pronto. Hoje em dia como tranquila.
  • Faça uma nota mental: é daí que vem a maior parte das vitaminas. Consumindo mais legumes, você tem menos resfriados, viroses e afins.
  • Faça um curso de culinária vegetariana ou compre um livro de receitas. A variedade de preparos é enorme e abre nossa mente para provar novas coisas. Você vai descobrir um mundo de sabores.
  • Igual kids: adicione um legume pelo menos nos pratos tipo o macarrão da foto de capa. Já é uma nutrição extra! Em macarrão: berinjela, abobrinha e brócolis combinam muito.

Pronto, sem desculpas! Lá no Instagram (@paladareafeto), na parte do stories, vez em quando mostro meu prato de almoço para dar ideias a vocês, sigam lá!

Partiu por em prática porque não adianta ler e não agir. O que está te impedindo?

Foto capa: Simone Medeiros.